O meu corpo leva a minha mente a enlouquecer, ou a minha loucura enlouquece o meu corpo?


Rio de Janeiro,
Hospital Casa Evangélico, Tijuca
25 de Setembro de 2018, 23:50



É uma longa e árdua caminhada.

Dias de muita luta e pouca glória.
Bota luta nisso aí e joga à décima potência,
Que talvez você possa entender um pouco o que eu sinto.

Ao entrar no hospital, minha mente vira para um sábado em agosto passado,
Para um acidente de moto,
Para mais de 100 fisioterapias.

360 graus de agulhadas,
Vários exames de sangue,
Incontáveis remédios.

Minha cabeça vaga para a loucura,
A mente levando o corpo a alucinar doenças,
Porque não conseguem encontrar um diagnóstico sobre o que eu sinto.

E, porra, eu sinto para caralho essa dor física,
Que também se transforma em mental e me destrói.
Rasga cada pedacinho de lucidez que eu acredito que poderia existir em mim.

E não, não é exagero!
Quem dera eu conseguisse exagerar tanto assim,
E escrever um texto friamente calculado.

São só palavras tóxicas vomitadas
De uma mente tóxica,
Doentia.

Uma situação cruel,
Que em meio a remédios e agulhas,
Me levas às lágrimas.

Lágrimas de loucura,
De não saber se o que eu sinto é real
Ou é a minha mente entrando em pane e queimando tudo o que resta de mim.

O meu corpo leva a minha mente a enlouquecer,
Ou a minha loucura enlouquece o meu corpo,
Desequilibrando o pouco equilíbrio que me resta?

Me levando pra longe,
Mas quem me dera...

0 Comentários