Pedi demissão do trabalho


"Grazielle, você é louca de se demitir numa época dessas?"
"Todo mundo procurando por uma oportunidade de emprego, e você jogando a sua fora?"
"Essa não é a época certa para você se demitir, tá louca?"

São algumas coisas que:
1) eu ouvi
2) muita gente vai pensar

Sabe, eu não me importo que você se importe com a minha situação financeira e com a dificuldade da crise no país e de como isso pode me afetar. Acho lindo que se preocupem com isso. Mas ninguém me perguntou:
"Grazi, como anda sua saúde mental?"
"Garota, que monte de atestado é esse que você anda metendo? Como está sua saúde física?"

Não me perguntaram, mas eu respondo mesmo assim. Minha saúde mental está bem instável. Já tive crises durante o trabalho, um minuto antes de começar a trabalhar. Já me tranquei no banheiro, dando uma desculpa qualquer, para chorar. Frontal e Rivotril sublingual viviam dentro dos meus bolsos, para eu tentar conter uma crise. Não conseguia dormir, mesmo com vários remédios que tenho aqui em casa.

Minha saúde física?
Fascite Plantar (uma inflamação na sola do pé, que tornava - ainda torna e vai me levar à fisioterapia - muito difícil andar ou ficar em pé por muito tempo), muitas dores de cabeça, refluxo, estresse no nível de esquecer as palavras, dores no quadril. Fora a contratura do trapézio. Adicionando o colesterol alto  e uma alteração no fígado, por tomar tantos remédios.

Desenvolvi uma vontade enorme de beber, porque eu me sentia frustrada e mal o tempo inteiro. Sentia que o álcool ajudava muito, no sentido de esquecer tudo o que se passava no dia. Mas a bebida, junto com meus remédios, era uma péssima ideia, até eu não ligar mais.

Estava tudo errado, percebe?
Eu só estava me deteriorando permanecendo nesse emprego. Então eu olhei meus contracheques, conversei com meu psiquiatra/psicoterapeuta, com as pessoas que mais me amam, e resolvi que sairia. O plano era sair no fim do mês, mas eu simplesmente não suportava a ideia de ficar lá nem mais um dia, então pedi demissão.

Entre gerentes e funcionários babacas, colegas fofoqueiros, x9, eu encontrei pessoas lindas, que me estenderam a mão e me ajudaram a permanecer pelo tempo que se deu. Confesso que o que mais pesou na hora de pedir demissão, foram as pessoas queridas e o convívio diário e as risadas na sala de intervalo. Todo mundo me deu uma força imensa e, agora, só depende de mim querer manter essas pessoas ao meu lado.

Pode ser que eu me arrependa?
Duvido muito, mas pode acontecer. E se acontecer, eu sei que eu vou ter todo apoio do mundo em qualquer decisão que tomar.

Queridos colegas e gerentes humanos, sentirei saudades da nossa convivência,
Meu muito obrigada <3

Agora?
Agora eu estou bem.
Acordei depois de 12h de sono direto.
Acordei disposta a voltar à minha rotina de escrever, blogar e cozinhar, para conseguir lutar para recuperar o colesterol em seu número correto.

Me sinto livre, como a garota da foto,
Sem medos de perder coisas importantes, como datas e eventos de família e amigos.

Tem um sol lindo lá fora, que me chama para ir à Ipanema.
Talvez eu siga o sol, ao invés da caverna em que me encontrava,
Não estou mais nublada, a luz ressurgiu em mim.

2 Comentários

  1. Me reconheci quase que por inteira em todo esse texto. Tirando alguns detalhes, simplismente foi o que aconteceu comigo😮😃até agora nem um arrependimento!

    ResponderExcluir