Um caso de amor por mim e pela minha psicóloga

Minha gratidão por simplesmente estar viva - e pelo bronze, ouvi um GLÓRIA?


A Nicole me recebeu na porta de sua sala com um grande e doce sorriso e um abraço apertado. Confesso que estava ali com os dois pés atrás, por medo do abandono. Aquele sentimento familiar de ser largada por alguém que passa a fazer parte da nossa vida e simplesmente anuncia um dia que não mais fará parte da minha vida.

Neste momento, meus olhos estão embaçados pelas lágrimas, ao som de Demons - Imagine Dragons, ao me lembrar que eu consegui confiar e, em poucas sessões, acreditar que ela fará seu melhor para me ajudar. Assim como vê o brilho em mim em cada sessão, eu me agarro ao seu sorriso, com a sensação de que tudo ficará bem, de que, após um longo ano, eu finalmente terei férias da minha tristeza constante.

As lágrimas que escorrem pelo meu rosto, agora, são da mais pura gratidão em conseguir estar bem e sóbria (chamo de sobriedade os meus períodos sem crises) por dois meses, sem me afogar no mar da autopiedade. São lágrimas de felicidade por todas as pessoas que, mesmo sem saber, me impulsionaram até aqui.

Sinto uma emoção indescritível ao olhar para trás, para todos os momentos ruins que passei, por cada lágrima de dor, luto, revolta e raiva, e ainda conseguir sorrir. Tão perdida em mim, hoje eu consigo olhar no espelho e me encontrar. Me encontrar, aceitando tudo o que eu passei, me abraçando por isso e me olhando com amor. É muito mais do que algum dia - nos meus piores momentos - eu pensei que conseguiria.

Cansei de sentir pena de mim mesma e tomei as rédeas do meu agora, tentando pensar o mínimo possível no futuro e parando de culpar todo o meu passado. Ele passou, eu sou outra hoje e, se sou, o sou por causa dele. Hoje busco meu perdão interno pelos outros que habitaram em mim e me fizeram mal de alguma forma.

Meus demônios estarão comigo para sempre. Já aceitei essa verdade e não pretendo escondê-los, pretendo lidar com eles. Cada um deles. Dia após dia. Agora, me sinto forte o suficiente para fazer isso. Sinto que a minha atual psicóloga me abraçará nessa missão, assim como ela me abraça no início e no final de cada sessão de troca.

Sim, troca. Em maior contato comigo, consigo sentir e viver trocas. Sejam elas de energia, experiências ou só estar ali, em uma presença que seja calmante ou em uma presença que eu possa acalmar, apesar dos meus pesarem - que se encontram há milhas de distância da minha mente.

Provavelmente existirão dias ruins, porque a vida é uma grande montanha-russa, mas eu vou continuar aqui, me abrigando nos dias felizes que tenho passado, na paz que meus amigos me trouxeram. Eu vou conseguir. Você vai conseguir. Nós vamos, juntos, conseguir.

0 Comentários