Como assim "não há nada o que fazer???"





A mudança ou o retorno para velhos hábitos, não é fácil, todos nós sabemos disso. Com a depressão e a ansiedade, tudo se dá da mesma forma. Como? Bom, nossa mente se reencontra com aquele lugar que os remédios e abafaram e que a terapia colocou um band-aid.

Me considero, apesar de um ou outro dia de saudade e melancolia, uma pessoa sóbria há mais de três meses; o que, na minha concepção, significa estar sem crises depressivas, apesar da volta das crises de ansiedade das últimas semanas.

Mas a noite passada foi tão bizarra, que eu olhei o resultado de um exame (RM) no aplicativo do laboratório, e simplesmente enlouqueci e não consegui dormir até que fossem cinco da manhã de hoje. E antes mesmo de abrir os olhos direito, sem sair da cama, liguei para marcar uma consulta com o ortopedista, para a avaliação do exame.

Acredito que não tenha falado isso nas redes sociais, porque eu não queria mais dividir problemas com você - que ler os meus textos e me acompanha nas redes sociais (Instagram, Twitter, Facebook, Pinterest) - eu queria, e ainda quero, passar uma imagem positiva, de que a depressão e ansiedade, tratadas da maneira correta, com medicações certas e psicólogos empáticos, vai gerar, em algum momento, uma estabilidade como a minha.

Mas voltando ao assunto do exame, no dia 30 de dezembro de 2018, ao ser guia de uma amiga pela zona sul carioca, no Forte de Copacabana, eu tive uma entorse no pé direito - pisei em um buraco e ele virou para dentro. Mas tudo bem! Fui ao hospital, não havia nada quebrado e tudo o que eu precisava era fazer a RM para ver se havia rupturas nos ligamentos.

 


Um mês depois, pé na bota ortopédica, gelo três vezes ao dia, repouso e algumas idas à fisioterapia, eu tive que ir pedir para que o médico fizesse o encaminhamento para a RM, porque meu pé estava - e está - instável. Essa RM deveria ter sido pedida há muito tempo, mas em suas palavras, ele disse ter me enrolado para que a entorse melhorasse sozinha. O QUE NÃO ACONTECEU!

Agora, estou com uma ruptura ligamentar, segundo ele nada demais, em que não há nada que fazer, além de fisioterapia e fortalecimento. A minha mente fica insana com ele esse não há o que fazer. Como não há o que se fazer??? O ligamento rompeu, não seria bom fazer repouso? Elevar o pé? Colocar algum tipo de estabilizador no meu tornozelo? Eu não entendo.

A minha depressão e ansiedade não processam a possibilidade de que não há nada que possa ser feito, então eu fico enlouquecida, com tudo à flor da pele, prestes a explodir, quando não entendo que não há nada a ser feito, que pode ter havido imprudência médica.

A minha mente não para e não há nada mais atormentante do que isso.

0 Comentários